segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Idaron sacrifica segundo animal com doença do mormo em Rondônia

Mula de 12 anos com mormo era do distrito de Boa Vista do Pacarana. Após sacrifício, Idaron fez necrópsia e em seguida incinerou animimal.

Após a confirmação do segundo caso de mormo no distrito de Boa Vista do Pacarana, em Espigão D'Oeste (RO). Uma equipe da Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril do Estado de Rondônia (Idaron) se deslocou até o local, nesta quinta-feira (15), para sacrificar o animal quimicamente, em seguida foi feita necrópsia e o animal foi incinerado. Durante as 3h de necrópsia, foram retiradas lesões do animal para serem encaminhadas para exames laboratoriais em Pernambuco. O primeiro caso confirmado de mormo foi registrado em Cujubim, em junho deste ano.

Vaqueiro da propriedade há 12 anos, Marcilio Antonio de Alcântara cuidou da mula desde que chegou ao local e conta que o animal sofria com inflamações respiratórias há cerca de oito anos. “Essa mula sempre teve a respiração pesada, a gente tratava como resfriado normal, a gripe passava, mas logo em seguida voltava. Não procuramos a Idaron antes, pois não tínhamos conhecimento da doença”, disse o vaqueiro.

Marcilio afirmou que apesar da doença, a mula de 12 anos de idade, sempre teve um bom desempenho no trabalho de lida com o gado. “A mula trabalhou até um dia antes de ser sacrificada. O único sintoma mais aparente era a secreção que saia do nariz”, explicou.

A necropsia realizada foi para analisar todas as partes internas do animal, como pulmão, trato respiratório interior e superior e demais órgãos. Todas as partes foram encaminhadas para exames laboratoriais para detalhar melhor a doença. A incineração foi necessária para não contaminar o solo da propriedade rural, segundo o supervisor da regional de Pimenta Bueno, Jader da Silva.

Na mesma propriedade onde foi encontrado o animal com mormo, foram coletadas amostras sanguíneas de mais 23 animais que serão encaminhadas para analise laboratorial para teste confirmatório de mormo. Todos esses animais não apresentaram sintomas da doença, os exames serão realizados devido ao contato direto com o animal infectado durante longo período. Mais 27 propriedades vizinhas foram visitadas pela equipe da Idaron. Outros três animais apresentaram lesões características do mormo.

A propriedade onde foi encontrado o segundo caso de mormo está interditada para trânsito de equídeos. “Os animais não podem sair da propriedade interditada. Somente após os exames negativos, será liberada, em um prazo de 30 a 40 dias. Os exames estão sendo realizados apenas em Pernambuco”, disse Jader.

O supervisor explicou que os principais sintomas característicos do mormo são úlceras que podem estourar na pele, ferimentos que o produtor tenta curar, mas sempre ficam aparentes, secreções nasais purulentas, animal cansado com respiração tensa. “O animal que estava com a doença apresentava sinais de secreções nasais, cansaço e respiração ofegante”.

De acordo com Jader a fiscalização por parte da Idaron sempre existiu, porém o Estado de Rondônia era livre do mormo. “Com os dois casos confirmados não iremos intensificar a fiscalização, mas começar a cobrar dos produtores o exame negativo para mormo para que possam transitar com os equídeos”, falou Jader, afirmando que a contaminação foi feita através do trânsito de equídeos de cidades que não são livres da doença.

Segundo Jader o mormo pode ser transmitida para o ser humano, por se tratar de uma zoonose. “Essa transmissão é feita através do contato com a secreção do animal, pois há uma descarga de bactéria. Os sintomas no humano são as mesmas apresentadas no equídeo, porém no homem a doença é tratada com antibióticos fortes durante um longo período e no animal não há cura”, contou. Em Rondônia ainda não há casos registrados de mormo em humanos.

Segundo o presidente da Idaron Marcelo Henrique, mesmo com a confirmação dos casos de mormo em Rondônia, a situação não é preocupante. “A população pode ficar tranquila, pois já fizemos exames, tudo que foi necessário, e apesar do segundo caso confirmado, a situação não é preocupante, pois os casos foram detectados em pontos extremos do estado”, tranquilizou o presidente.


Fonte: cacoalnews.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário