sexta-feira, 5 de julho de 2013

Empresários e madeireiros provocam reunião com o prefeito e vereadores



A reunião de trabalho agendada pelos empresários do setor madeireiro de Espigão do Oeste aconteceu na manhã desta sexta feira 05 no gabinete do prefeito Célio Renato e contou com as presenças dos vereadores: Darci Kischener, Devair Réga e Severino Schulz. A totalidade dos empresários do setor madeireiro de Espigão do Oeste se fez representar nesse encontro que contou ainda com as presenças do presidente da Associação Comercial, Juliano Correia, empresários Antonio Hertmamn, Arlindo Deutmamn, Luiz Valadares, Juruna e os advogados Ronilson Pellegrini e Aécio Castro. A pauta da discussão teve como objetivo protestar contra as atitudes truculentas e abusivas que estão sendo praticadas por alguns agentes públicos envolvidos nas operações de fiscalização no setor madeireiro. Durante o encontro os advogados denunciaram ações abusivas contra seus clientes detidos e algemados nas dependencias da Base. Os empresários alegam que na sua maioria trabalham com manejos legalizados em suas empresas, mas qualquer situação é motivo para a fiscalização truculenta por parte dos agentes. "Um simples desvio da rota original é motivo para uma apreensão". Afirmou um dos empresários.



O prefeito Célio alegou nunca ter sido consultado sobre qualquer ação a ser proposta no município, segundo ele a operação em andamento é feito sem o conhecimento do Poder Executivo. A procuradora do município, Elizabete Balbinot citou a negativa da prefeitura em custodiar os veículos presos com madeira no município. Segundo a procuradora houve casos em que a prefeitura cedeu as dependências da antiga CAGERO para estacionar os veículos detidos e houve depredação dos bens. “Por isso a prefeitura se negou desta vez a ceder um pátio para que os veículos ficassem retidos”. A dinâmica das discussões encaminhou para a elaboração de um documento com relatos desses abusos para serem apresentados à autoridade federal na tentativa de frear alguns exageros por parte de agentes públicos.
Luiz Valadares citou a importância de se unir empresários, o executivo e o legislativo na busca de encontrar uma solução para que o setor madeireiro não sofra um colapso e venha comprometer a economia local ainda mais. “Essa é a nossa maior preocupação nesse momento, encontrar uma solução plausível para que as pessoas possam trabalhar dentro da legalidade, mas que tenha o respaldo da lei e os seus direitos respeitados pelas autoridades”. Afirmou Valadares.
Nota da Redação.

Positivo
O destaque positivo do encontro foi o consenso entre os participantes de se buscar uma maneira harmoniosa para que o setor madeireiro possa trabalhar com a tranquilidade e possa cumprir o seu papel importante dentro da economia local. 

Negativo

O destaque negativo foram às palavras do assessor do governo Valtinho que solicitou a imprensa presente (Prefeitura, Cone Sul e Espigaonews) para que não registrasse o teor da discussão do encontro. Os profissionais iam se retirar do recinto, mas permaneceram graças à intervenção do empresário Luiz Valadares e do prefeito Célio que repudiaram a atitude do assessor do governo e solicitaram a permanência dos profissionais de imprensa. Então para que serve a imprensa meu caro assessor! Não se esqueça de que qualquer movimento seja ele sindical, seja social ou reivindicatório sem o apoio da imprensa já nasce condenado ao fracasso. Por acaso o assunto ventilado no encontro não é de interesse da sociedade. Sim porque o primeiro mandamento da imprensa é atender ao interesse da sociedade e não aos caprichos de políticos ou qualquer outro seguimento. A imprensa como um instrumento “Formador de Opinião” merece respeito e consideração em qualquer lugar e aqui em Espigão do Oeste eu como parte integrante dela; Exijo Isso! 



Fonte:Luizinho Carvalho 

Um comentário:

  1. Vai reclamar de que ? Ação truculenta ? Não generalizando, mas quem esta aliciando indigena pra retirar madeira ilegal ? Quem esta esquentando notas e lavando dinheiro de vereadores e políticos do estado de RO ?
    Enfim, uma pena para os bons manejadores de florestas, mas madeireiro é madeireiro. E dúvido que estão todos 100% legalizados com os seus negócios ... põe a mão na consciencia antes de reclamar seus direitos ...

    ResponderExcluir